A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 10/09/2015 12h58

    Adolescente que manteve família refém em Santa Maria é suspeito de matar cinco

    Ele foi encaminhado na última terça-feira (8) ao Centro de Atendimento Socioeducativo de Santa Maria (Case)

    A Polícia Civil (PC) aponta que o adolescente de 17 anos apreendido junto com outros dois jovens no dia 1º de setembro em Santa Maria, após trocar tiros com a Brigada Militar (BM), é suspeito de cinco assassinatos. Três dos crimes o adolescente confessou.

    Conforme uma fonte da PC, que preferiu não ser identificada, uma reunião na tarde de quarta-feira (9) levantou a suspeita de o adolescente ser o autor dos crimes, que aconteceram entra março e agosto deste ano, e ser integrante da facção dos Bala na Cara (leia mais abaixo).

    Entre os crimes, estão a morte de João Eduardo Camargo, 30 anos, no dia 15 de agosto, na Praça Saturnino de Brito, após a festa dos calouros da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Ele também seria o autor da morte de Patrick Silva Ortiz, 20 anos, em 13 de agosto, no bairro Tancredo Neves, da travesti Dartagnan Vargas da Silva, 35, em 13 de junho, na Vila Maringá, e Luís Ailton Nascimento da Silva, de 48, em 15 de março, no Residencial Zilda Arns, bairro Diácono João Luiz Pozzobon. O quinto caso não foi informado à reportagem.

    O adolescente foi ferido durante a troca de tiros com a BM, ficou internado no Husm, recebeu alta na noite da última terça-feira (8) e foi encaminhado Centro de Atendimento Socioeducativo de Santa Maria (Case). Ele ficará internado provisoriamente por 45 dias, que é o prazo que a Justiça tem para analisar o caso e definir qual medida socioeducativa ele deverá cumprir.

    O comparsa do adolescente, 19 anos, que também ficou ferido, continua internado. O terceiro suspeito, de 20 anos, também preso no dia do assalto, está na Penitenciária Estadual de Santa Maria (Pesm).

    Os delegados Antônio Firmino de Freitas Neto, titular da 4º Delegacia de Polícia, que atende a região onde aconteceram os crimes, e Carla Dolores Castro de Almeida, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), responsável por investigações que envolvem crimes cometidos por adolescentes, preferiram não falar devido à greve dos servidores pela medida de parcelamento dos salários por parte do Governo do Estado.

    Adolescente já foi apreendido
    O adolescente cumpriu medida socioeducativa no Case pela suspeita de autoria da morte de Luís Ailton Nascimento da Silva entre abril e maio. Ele permaneceu cerca de 30 dias no local e foi liberado. Em junho, ele teria cometido o assassinato de Dartagnan Vargas da Silva - menos de um mês depois.

    Os Bala na Cara
    O Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc), as delegacias de homicídios da Região Metropolitana de Porto Alegre e o Ministério Público mantêm investigações sobre a facção. A atuação principal é na Capital e nos municípios do entorno, mas já foram registradas ações em outros locais do Rio Grande do Sul.

    Conforme o Denarc, o foco das ações é sempre em algum tentáculo da organização, mas nunca a facção como um todo. Sabe-se que a facção nasceu no bairro Bom Jesus e que a expansão acontece sem um líder absoluto. "O tráfico pulverizado, e a forma de atuar em associação a quadrilhas locais, dificulta qualquer investigação mais precisa sobre eles", conta o Denarc.

    Com informações do Diário de Santa Maria

    Gaúcha SM
     
    Comentários