A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 21/05/2017 12h49

    Aumento de 25% nos salários de prefeito e vice é vetado em Viamão

    Jurídico da Câmara afirma que reposição salarial do prefeito e do vice são prerrogativas do Legislativo e não do Executivo

    Foto: Câmara de Vereadores /Divulgação

    Após a polêmica envolvendo o aumento dos salários do prefeito, do vice e dos secretários municipais de Viamão em 24,89%, o jurídico da Câmara de Vereadores da cidade vetou o reajuste para o prefeito André Pacheco (PSDB) e o vice Russinho (PMDB).

    De acordo com a análise dos juristas, reposição salarial do chefe do Executivo e do vice são prerrogativas do Legislativo, e não da prefeitura. Somente o aumento dos vencimentos dos secretários foi sancionado e começa a vigorar nesta quinta-feira (18).

    O projeto que aumentou os salários havia sido aprovado por 11 votos favoráveis e 8 votos contrários, na noite da última terça-feira, pela Câmara de Vereadores de Viamão. André Pacheco recebeu muitas críticas em relação à proposta – que aumentaria o salário dele de R$ 13,3 mil para cerca de R$ 16, 6 mil.

    "Eu sou um servidor público também, aprovado num concurso que é a eleição. Meu vice e secretários também. Quando eu faço um ajuste no quadro, eu faço para todos, incluindo o prefeito. E, ainda assim, temos os menores salários da Região Metropolitana", justificou em entrevista.

    Porém, depois da aprovação pelos vereadores, a proposta teve de passar pelo jurídico da Câmara, onde o reajuste para o prefeito e o vice foi vetado.

    Gaúcha
     
    Comentários