A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 08/09/2015 19h22

    Basegio apresenta denúncia de CC fantasma contra deputado Roso

    Suposta irregularidade foi apresentada à presidência da Assembleia

    Deputado Roso é presidente da Comissão de Ética

    Foto: Assembleia Legislativa

    O deputado Diógenes Basegio (PDT), que responde a um processo por contratação de suposta funcionária fantasma na Assembleia Legislativa, apresentou denúncia sobre prática semelhante contra o colega Juliano Roso (PCdoB).

    O documento, entregue na tarde desta terça-feira (8) à presidência da Casa, diz que Roso - que também é presidente da Comissão de Ética - teria contratado um assessor que lecionava em duas escolas no período em que deveria trabalhar para o gabinete. O contrato na Assembleia durou dois meses, de março a maio deste ano.

    Segundo a denúncia, o funcionário que ocupava um cargo em comissão (CC) era contratado formalmente como professor em duas instituições de ensino, em Passo Fundo e Marau, no Norte do Estado. O documento foi acolhido e encaminhado ao corregedor da Comissão de Ética, deputado Marlon Santos (PDT).

    "Requeiro que vossa excelência, com a mesma presteza com que se conduziu no caso em que sou parte, encaminhe o presente, juntamente com os instrumentos que o instruem, à Comissão de Ética Parlamentar, em vista de se tratar de caso, pelo menos diante do que me imputam, e em tese, análogo ao recentemente julgado pelos meus pares", diz Basegio.

    Procurado pela reportagem da Rádio Gaúcha, o deputado Roso disse que só irá se manifestar sobre o caso após ser notificado.

    Gaúcha
     
    Comentários