A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 09/09/2015 17h12

    Cidades têm ambulância parada há um ano por erro burocrático no RS

    Prefeituras das Missões tentam regularizar veículo, que foi repassado mesmo sendo reserva técnica

    Foto: Gilmar de Souza /BD/ JSC

    A prefeitura de Roque Gonzales tenta, há um ano, regularizar uma ambulância para colocar o veículo em funcionamento em três municípios da região das Missões. Segundo o prefeito Sadi Ribas, além da cidade, os municípios de Dezesseis de Novembro e Pirapó receberam o veículo em setembro do ano passado, como uma doação do Estado.

    Ela serviria para atender 13 mil pessoas na região pelo Samu. 

    Os prefeitos tentaram, durante os três últimos meses do ano passado regularizar, a doação. Somente em fevereiro deste ano, com a troca de governo, conseguiram o documento que legaliza o repasse do veículo do Estado para o município, com a assinatura do secretário da Saúde, João Gabbardo.

    Ao tentar homologar a placa do veículo no Ministério da Saúde, no entanto, o prefeito Sadi Ribas recebeu a notícia de que isso não seria possível.

    "O Ministério da Saúde nos informou que esse veículo veio para o Rio Grande do Sul como reserva técnica. Ele veio como reserva dos outros centros do Samu. Para funcionar esse centro aqui, eles têm que nos repassar outro veículo. Eu pedi, fui até o Ministério da Saúde, e eles dizem que não têm orçamento. Fomos enganados aqui. Por que repassam um veículo que não pode ser usado? Estamos todos enrolados aqui”, esbravejou o prefeito.

    A ambulância está parada nos fundos da prefeitura de Roque Gonzales desde setembro de 2014. A Secretaria da Saúde do Estado foi procurada pela Rádio Gaúcha para um esclarecimento e diz que está averiguando a situação.

    Gaúcha
     
    Comentários