- Atualizado em 19/05/2017 18h15

Com três competições paralelas, Grêmio prepara rodízio

Domingo, contra o Atlético-PR, em Curitiba, time terá força máxima

"Vai ser uma obrigação. É impossível jogar com a mesma equipe em três competições de alto nível", explica Renato

Foto: Félix Zucco a /Agencia RBS

Mesmo com calendário apertado, o Grêmio não irá preservar parte dos titulares no jogo deste domingo, em Curitiba, contra o Atlético-PR. Com a mesma equipe que derrotou o Fluminense, pela Copa do Brasil, o time busca no gramado sintético da arena da Baixada a segunda vitória no Brasileirão. 

Quinta, contra o Zamora-VEN, o time decide sua passagem às oitavas de final da Libertadores. Renato Portaluppi, contudo, avisa que precisará poupar alguns jogadores com o andamento dos jogos. 

— Vai ser uma obrigação. É impossível jogar com a mesma equipe em três competições de alto nível. Ninguém consegue fazer isso. Não tem ser humano que aguente — explicou o treinador.

Não se trata, segundo ele, de uma decisão baseada em parâmetros técnicos. O que pesa é a frequência com que o time precisará entrar em campo nos próximos dias. Em onze dias, serão quatro jogos, um deles decisivo, pela Copa do Brasil.

— Eu iria colocar se jogássemos uma vez por semana. A cada três dias, é impossível. Tem cartões, lesões, cansaço. Daqui a pouquinho, podem ter certeza, é outra equipe que vai jogar — avisou. 

Diante dessa realidade, Renato revelou que tem pedido reforços à direção. Além de posições em que há maior carência, tem citado nomes. Elogiou o volante Lucas Leiva, do Liverpool-ING, mas deixou claro que existe uma longa distância entre desejo e possibilidade de contratação.

— Meu grupo é bom é forte. Mas reforços serão muito bem vindos. Quanto mais jogadores a diretoria puder me dar, dentro das condições financeiras, melhor para o time — disse o técnico, que citou como exemplo o Palmeiras, que anunciou dois novos reforços sexta-feira, o zagueiro Juninho e o lateral direito Mayke.

 
Comentários