A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 09/09/2015 15h45

    Confira o funcionamento dos serviços estaduais nesta quarta

    Samu é o serviço mais afetado pela falta de repasse

    O Samu está atendendo com quatro telefonistas desde terça-feira (8)

    Foto: Maiara Bersch /Agencia RBS

    Diversas categorias estaduais do Rio Grande do Sul permanecem paralisadas devido ao parcelamento do salário. As entidades sindicais se reúnem na sexta-feira para decidir os rumos do movimento. Nesta data, o governo pretende pagar a próxima parcela. As greves também são causadas pela falta de repasses. Confira:

    Saúde
    O Serviço de Atendimento Movél de Urgência (Samu) está atendendo com quatro telefonistas desde as 19h desta terça-feira (8). O número é metade do total que normalmente trabalha recebendo ligações com pedidos de socorro pelo telefone 192. O motivo é a falta de repasses por parte do governo do Estado à empresa terceirizada que executa o trabalho. A expectativa é efetuar o pagamento até sexta-feria (11). A Central atende 146 municípios do interior do Estado.

    De acordo com o secretário adjunto da Saúde, Francisco Paz, o problema não compromete o serviço. "O que pode acontecer é um congestionamento no serviço, com um pequeno atraso na atenção, mas vamos continuar atendendo a todos".

    Demais serviços da Saúde afetados pela paralisação: Sanatório Partenon e Hospital São Pedro realizam apenas serviços de urgência. O Laboratório Central do Estado está com boa parte dos serviços parados. Por isso, vários exames não estão sendo feitos. Mesma situação do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, da Escola de Saúde Pública e a Dermatologia Sanitária.

    A Farmácia do Estado tem atendimento normal na manhã desta quarta-feira, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde. 

    Segurança
    O Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia (UGEIRM) decidiu pela manutenção da paralisação até as 18h de sexta-feira (11). Com isso, as delegacias seguem atendendo apenas casos de urgência, envolvendo idosos, crianças e deficientes. Furtos, perda ou encontro de documentos, acidentes sem vítimas, entre outros, podem ser registrados na Delegacia Online.  

    Os servidores penitenciários também decidiram pela manutenção da greve até sexta-feira (11). Nesta terça-feira (08), 322 réus não compareceram em audiências, por falta de condução. Durante a Operação Padrão, as visitas também estarão limitas a uma pessoa por preso. Nesta manhã, uma audiência pública será realizada em Pelotas. 

    Educação
    A greve dos professores estaduais segue pelo menos até o dia 11 de setembro, quando ocorre nova assembleia para decidir os rumos da paralisação. Segundo o Cpers, 85% das escolas estão paradas no RS. Desta vez, a assembleia vai ser no Pepsi On Stage.

    Bancos
    A liminar que permitia o fechamento dos bancos por falta de segurança foi derrubada pelo corregedor-geral da Justiça , com isso, as agências devem abrir normalmente nesta quarta-feira. O presidente do SindBancários, Everton Gimenes, afirma que o sindicato está recorrendo da decisão.

    Gaúcha
     
    Comentários