A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 19/05/2017 16h22

    Delação da JBS aponta propina de US$ 150 mi para Lula, Dilma e o PT

    Joesley Batista afirmou à PGR que repassou US$ 50 milhões para o ex-presidente e US$ 30 milhões para sua sucessora, em contas no exterior

    Foto: Anderson Fetter /Agencia RBS

    Os detalhes informados por Joesley Batista, dono da JBS, em acordo de delação premiada, atingem diretamente os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, além do partido deles, o PT. As informações são de Zero Hora.

    Conforme o delator, Lula recebeu pagamentos indevidos de US$ 50 milhões, depositados em uma conta no Exterior. O mesmo expediente teria sido usado, disse o depoente, para enviar US$ 30 milhões a Dilma fora do país.

    O saldo dessas contas somaria US$ 150 milhões em 2014. A delação indica que parte dos recursos também seria usada para irrigar o caixa do PT.

    Leia mais sobre a delação da JBS e a crise no governo

    Os advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira, divulgaram nota rebatendo as acusações, alegando que "as afirmações de Joesley Batista em relação a Lula não decorrem de qualquer contato com o ex-Presidente, mas sim de supostos diálogos com terceiros, que sequer foram comprovados". 

    Já a assessoria de Dilma negou que ela tenha tratado com qualquer empresário financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais, ou que tenha autorizado, em seu nome ou de terceiros, a abertura de empresas em paraísos fiscais.

    Leia a reportagem completa em Zero Hora.

    Gaúcha
     
    Comentários