A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 14/07/2017 20h20

    Ex-PM faz campanha para adotar cavalo que usava na Brigada Militar

    A ex-policial militar Kelly Thimoteo, de Passo Fundo, tenta há anos conseguir a guarda do cavalo Nanquin, que será leiloado

    Foto: reprodução

    A ex-policial militar Kelly Thimoteo luta há anos para conseguir a guarda do cavalo Nanquin. O animal, sem raça definida, tem entre 12 e 15 anos e era usado por ela quando a ex-PM servia no Regimento de Polícia Montada em Passo Fundo, no Norte do Estado.

    Mesmo após sair da Brigada Militar, há sete anos, a mulher não desistiu do equino. Há dois anos, o animal está em uma fazenda de 1,2 mil hectares que a polícia mantém na cidade, com outros cavalos fora de atividade

    – Ele está muito magro, assim como os outros que estão no local – comenta.

    A mulher afirma que fez um requerimento, solicitando a tutela do cavalo, e o protocolou no Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) Planalto. No entanto, não obteve resposta.

    Conforme Kelly, o cavalo vai ser leiloado pelo governo do Estado, e ela queria preferência para arrematá-lo. O valor inicial dos lotes varia de R$ 400 a R$ 800.

    Na internet, amigos da ex-PM criaram um abaixo-assinado para pressionar o governo. Até o final da tarde desta sexta-feira (14), a campanha já contava com mais de 3 mil apoiadores.

    “O Nanquin foi companheiro da Kelly Thimoteo durante o tempo em que ela serviu na Brigada Militar. Há sete anos ela tenta por meios legais obter a guarda do amigo, companheiro, a quem se apegou, e ele a ela (...) Vamos ajudar os dois a ficarem juntos novamente. Precisamos da tua assinatura. É um motivo justo e digno. Nanquin merece ficar com a companheira que o ama de verdade”, diz a petição.

    Procurada, a BM afirma que Kelly queria era que o cavalo fosse doado, mas isso não é possível já que o animal é patrimônio do Estado.

    Gaúcha
     
    Comentários