A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 05/02/2015 19h47

    Gasolina mais barata de Porto Alegre sai por R$ 3,14

    Na Zona Norte, valor mais acessível é R$ 3,15; na Zona sul, R$ 3,19

    Posto Ipiranga do bairro Sarandi tem a gasolina mais barata da Capital

    Foto: Maria Eduarda Fortuna /Rádio Gaúcha

    A reportagem da Rádio Gaúcha saiu às ruas mais uma vez, nesta quinta-feira (5), para encontrar os menores preços da gasolina em Porto Alegre. O posto Ipiranga do bairro Sarandi, localizado na esquina das avenidas Bernardino Silveira Amorim e Francisco Silveira Bittencourt, oferece o valor mais baixo: R$3,14 para quem paga em dinheiro. No cartão, o preço sobre para R$3,24. Motoristas faziam fila nesta tarde para abastecer no local.

    O gerente, que não quis se identificar, diz que o preço, que antes era de R$ 2,84, foi modificado no domingo e não há previsão de novo reajuste.

    Na Zona Norte, motoristas também encontram dois postos com a gasolina sendo vendida a R$ 3,15. Um deles fica localizado na Avenida Assis Brasil, 8620, e o outro na Avenida Farrapos, 1122.

    A gasolina mais barata encontrada pela reportagem na Zona Sul foi no posto Charão, na Avenida Otto Niemeyer, 1053, vendida a R$3,19.

    Na zona leste, o posto Lelo, na avenida Bento Gonçalves, 919, tinha ontem a gasolina mais barata a R$3,07. O valor foi reajustado nesta quinta para R$ 3,17.

    Proprietários de postos reclamam que reajuste de distribuidoras foi maior do que o previsto

    Os proprietários de postos reclamam que o preço da gasolina repassado pelas distribuidoras foi acima dos R$0,22 previstos pelo governo. Em três estabelecimentos da Capital, os donos mostram notas onde o aumento foi de R$0,33.

    "Nós só estamos repassando o reajuste que está chegando pra gente, que é muito maior do que estava previsto", disse o dono de um dos estabelecimentos, que não quis se identificar.

    Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes informa que não comenta o assunto, pois "cada distribuidora tem a sua política comercial e decide o preço que vai praticar".

     
    Comentários