A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 09/09/2015 12h40

    Guardas municipais não podem fazer policiamento ostensivo, diz Fortunati

    Secretaria de Segurança sugeriu que Guardas e BM agissem em conjunto para combater violência

    Guarda Municipal não pode ser usada no policiamento ostensivo, segundo o prefeito

    Foto: Ronaldo Bernardi /Agencia RBS

    O prefeito de Porto Alegre José Fortunati afirmou, nesta quarta-feira (9), que os guardas municipais não poderão ser utilizados no policiamento ostensivo. Em nota divulgada na terça, a Secretaria de Segurança Pública propôs um trabalho integrado entre a Brigada Militar e a Guarda Municipal, "visando promover ações conjuntas e com efetividade".  

    O prefeito alega que não há condições de retirar efetivo de escolas, unidades de saúde e parques para auxiliar no trabalho da BM. A declaração foi dada na manhã desta quarta, após cerimônia de assinatura do contrato com a o consórcio que irá revitalizar a Orla do Guaíba.  

    "O que não pode acontecer é nós partirmos do pressuposto que eu vá tirar um guarda de uma escola para trazer para a área central. Isso eu não farei. Não se resolve a discussão sobre a insegurança da cidade com a Guarda Municipal", disse.  

    Para o prefeito, a solução imediata dos problemas de segurança seria o pagamento dos salários e a vinda da Força Nacional de Segurança. Fortunati solicitou encontro com o governador José Ivo Sartori para tratar sobre o tema, mas ainda não há data marcada para a reunião. Ele voltou a afirmar que vai sugerir a Sartori que peça o auxílio externo na segurança do Estado.  

    O prefeito destacou que em maio, após uma conversa com representantes da Secretaria de Segurança, várias medidas foram tomadas para combater a violência, o que acabou sendo interrompido com o parcelamento de salários. Ele também voltou a defender que o aumento de ICMS  é a única solução viável para o Estado a curto prazo.

    Em nota, a Secretaria da Segurança disse que o objetivo proposta para a prefeitura é do reforço da guarda na segurança de parques, praças, largos, escolas da rede municipal e prédios públicos, já que são 511 homens que poderiam auxiliar no combate a crimes nesses locais. Segundo a secretaria, o contingente equivale a três destacamentos padrão da Força Nacional de Segurança.

    Gaúcha
     
    Comentários