A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 11/08/2017 23h49

    Justiça condena cinco pessoas por corrupção na Junta Comercial do RS

    Dois servidores recebiam propina para agilizar procedimentos no órgão público

    O juiz José Luiz John dos Santos, da 11ª Vara Criminal de Porto Alegre, condenou cinco pessoas por corrupção na Junta Comercial do Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira (11). As penas vão de prestação de serviços comunitários a mais de quatro anos de prisão. Em 2013, o promotor Flávio Duarte denunciou os servidores Nei Carlos Jacobsen e Marisa Prates Reginatto por corrupção passiva e os contadores Gilmara Aparecida Gaidarji Schuhmacher da Luz, José Luiz Silva da Silva e Maira de Araújo e Silva Pereira por corrupção ativa. Os servidores também foram condenados com a perda do cargo. Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça.

    De acordo com as investigações, os cinco participavam de um esquema, revelado pela RBS TV, de propina que agilizava a criação de empresas, lojas e estabelecimentos comerciais. Os valores da propina variavam entre R$ 200 e R$ 300. Um dos exemplos citado em reportagem da RBS TV é de uma loja de roupas que solicitou à Junta Comercial o registro de uma filial no dia 13 de outubro de 2011. Um dia depois, o processo já estava deferido. Segundo o promotor, o escritório de contabilidade que encaminhou os documentos pagou propina para agilizar o processo.

    A reportagem tenta contato com os condenados.

     
    Comentários