A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 21/04/2017 18h01

    Lasier é condecorado por Temer com medalha em cerimônia no Itamaraty

    Senador responde a inquérito no STF por suspeita de ter agredido a esposa

    Foto: Reprodução /Facebook

    O senador Lasier Martins (PSD-RS) foi condecorado nessa quinta-feira (20) pelo presidente da República, Michel Temer, com a medalha da Ordem de Rio Branco, no grau de Grande Oficial. A cerimônia de entrega da condecoração, em celebração ao Dia do Diplomata, foi realizada no Palácio Itamaraty, em Brasília.

    O senador responde a um inquérito no STF por suspeita de ter agredido a esposa, a jornalista Janice Santos.

    De acordo com o Palácio do Planalto, a Ordem de Rio Branco é "a mais alta condecoração da diplomacia brasileira" e homenageia pessoas físicas, jurídicas, corporações militares, instituições civis nacionais ou estrangeiras pelos seus "serviços e méritos excepcionais". A condecoração também foi publicada no Diário Oficial da União, edição da última quarta-feira (19).

    Assim como Lasier, outros políticos receberam a condecoração, entre eles parlamentares citados na Operação Lava Jato. Entre os agraciados estavam: o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, ministros de Temer como Mendonça Filho (Educação), Leonardo Picciani (Esportes) e até mesmo o relator da Reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS).

    A Ordem de Rio Branco é composta pelos graus Grã-Cruz, Grande Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro. No caso do senador gaúcho, a condecoração foi no grau de Grande Oficial.

    Lasier responde a inquérito no STF
    No início do mês de abril, o ministro Luiz Edson Fachin determinou que Lasier Martins saísse de casa, com base na Lei Maria da Penha, e também proibiu o senador de se aproximar ou fazer contato com Janice. O casal está em processo de separação. Janice Santos registrou uma ocorrência policial afirmando que o marido a atacou com chutes e provocou ferimentos em suas mãos durante uma discussão.

    Duas semanas depois, Zero Hora e Rádio Gaúcha tiveram acesso ao processo. Entre os documentos apresentados pelo senador, está uma carta escrita a próprio punho pela empregada do casal, Beatriz Chaves. A funcionária diz que foi pressionada por Janice para acompanhá-la à delegacia e que deixou claro que não iria se manifestar porque "não estava de acordo" com o que a jornalista dizia. Os documentos foram anexados pela defesa do senador ao processo, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), na tentativa de comprovar a sua inocência.

    Contrapontos
    Na ocasião em que o boletim de ocorrência com as agressões foi noticiado, o senador e a esposa se manifestaram por meio de notas oficiais.

    Confira, a seguir, a íntegra da nota divulgada pela assessoria do senador: 

    "A propósito de ocorrência policial registrado por sua mulher Janice, o senador Lasier Martins informa que está em processo judicial de separação litigiosa no Foro do Distrito Federal.

    Esclarece que não houve a alegada agressão física, mas ações e manobras da mulher no sentido de tirar proveito em tentativa de acordo no processo judicial.O senador está triste com o acontecimento e aguarda o andamento do processo judicial onde apresentará provas de sua inocência."

    Confira, a seguir, a íntegra da nota divulgada pela defesa da jornalista:

    "Em respeito ao direito de defesa de minha cliente a Sra. Janice Santos, companheira do Senador da República Sr. Lasier Martins, informo à imprensa que foi registrado Boletim de Ocorrências na Delegacia da Mulher de Brasilia no dia 28/03/2017. 

    Viemos a público dizer que as agressões contra a jornalista já vem de algum tempo. O casal ainda não havia dado entrada no processo de dissolução da união estável, como alega o senador Lasier Martins. 

    A discussão recente que gerou novas agressões se deve ao conhecimento de minha cliente de nova traição do Senador. A Sra. Janice buscou explicações com o companheiro sobre o caso extra
    conjugal, o que resultou em novas agressões. 

    O Senador omite a verdade, porque não quer falar sobre sua vida amorosa fora do casamento.

    Infelizmente o que começou como uma história de amor para minha cliente, acabou se transformando em um pesadelo."

    Gaúcha
     
    Comentários