A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 12/08/2017 8h45

    Marinha estende alerta de ressaca no RS e em SC até segunda-feira 

    Nesse período, ondas de três a quatro metros poderão ser registradas. Ventania também segue agindo na área litorânea 

    Foto: Ronaldo Bernardi /Agência RBS

    O mar deverá seguir agitado no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina durante o fim de semana. O Serviço Meteorológico Marinho da Marinha do Brasil estendeu o aviso de ressaca para a área que abrange os litorais dos dois Estados até a manhã da segunda-feira (14). Nesse período, ondas de até quatro metros de altura poderão ser registradas nas costas gaúcha e catarinense — a média ficará entre três metros e três metros e meio. A medição para atingir o nível de ressaca é de dois metros e meio, conforme a Marinha e a Somar Meteorologia. As informações são de Zero Hora.

    O setor de meteorologia da Marinha salienta que essa elevação poderá chegar na marca dos sete metros em alto mar. A instituição destaca que as pessoas devem evitar o banho e a navegação durante o período, principalmente, fora da área da costa, onde o cenário costuma ser mais adverso.

    Dados repassados pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe) apontam que a região do Porto de Rio Grande registrou ondas entre 3,5m e 4,5m na manhã desta sexta-feira. Em Itajaí, Santa Catarina, a ondulação chegou na marca de 4m, obrigando o fechamento do acesso ao porto da cidade catarinense. Segundo o Cptec, apenas nesses dois locais a medição oficial das ondas foi disponibilizada, pois outras boias registram problemas e estão em manutenção, o que impossibilita colher dados precisos.

    O mau tempo causou transtorno em municípios do litoral norte do RS. A plataforma de Atlântida amanheceu fechada nesta sexta-feira. Segundo funcionários, o vento forte é um risco para os visitantes. Em Tramandaí, o vendaval derrubou fios de luz. Na Caixa D'aço, em Porto Belo, litoral catarinense, um dos bares flutuantes foi carregado para a areia com a força das ondas.

    — Um sistema de alta pressão, com ventos no sentido anti-horário, que está atuando no Sul do país se encontrou com um sistema de baixa pressão, com ventos no sentido horário. A combinação desses fenômenos gera um corredor de vento que age contra a costa. O choque desses dois sistemas somado com a lua cheia, que causa o aumento da maré, cria as condições para ressaca no mar — explicou Maria Clara.

    No Rio Grande do Sul, as rajadas de vento mais fortes desta sexta-feira foram registradas em Mostardas (86,8km/h) e Tramandaí (85km/h). Conforme a meteorologista, ventos acima de 80km/h são considerados de forte intensidade. A ventania no litoral gaúcho seguirá no fim de semana, conforme a Somar, com rajadas moderadas e fortes — entre 70km/h e 100km/h.

    Zero Hora
     
    Comentários