A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 19/05/2017 14h01

    MP recusa pedido do Cremers para abrir inquérito contra o prefeito de Caxias

    Solicitação é relativa a vídeo publicado na internet em que o prefeito cobra de um médico o comparecimento em um posto de saúde

    Foto: reprodução

    O Ministério Público (MP) decidiu não instaurar inquérito contra o prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra, a partir de um pedido feito pelo Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers). O Conselho argumentou que o prefeito praticou assédio moral e abusou do poder ao publicar vídeo na internet em que aparece ligando para um médico e exigindo o seu comparecimento ao trabalho. O Cremers considera que o fato atinge toda a categoria médica.

    O promotor de Justiça Cassiano Corleta afirmou que partiu do próprio Ministério Público a recomendação à prefeitura de que fiscalizasse o cumprimento da carga horária dos médicos. O promotor também entende que a simples ligação telefônica questionando a ausência do médico não configura ilegalidade, "uma vez que é dever do administrador público controlar a assiduidade dos subordinados". 

    O promotor afirmou, ainda, que não se trata de uma matéria que deva ficar em sigilo - referindo-se à publicidade dada através do vídeo na internet - já que, segundo Corleta, o assunto possui "manifesto e inquestionável interesse público".

    O Cremers havia feito o pedido ao MP ainda em março em Porto Alegre. A solicitação foi encaminhada ao Ministério Público de Caxias do Sul.

    Gaúcha Serra
     
    Comentários