A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 20/03/2017 15h44

    Polícia prende suspeito de matar universitário em assalto em Porto Alegre

    Jovem confessou o crime após ser preso com veículo clonado

    Gabryel foi morto em assalto no dia 14 de março

    Foto: Reprodução /Facebook

    A polícia prendeu na manhã desta segunda-feira (20) um homem suspeito de matar o universitário Gabryel Machado Delgado, 20 anos, durante assalto no bairro São Geraldo, zona norte de Porto Alegre, no dia 14 de março. De acordo com a Polícia Civil, Flávio William Oliveira da Silva, 20 anos, confessou o crime após ter sido detido pela Brigada Militar.

    O homem foi preso quando chegava em uma residência com um carro clonado em Eldorado do Sul, na Região Metropolitana. Ele tem antecedente criminal por desacato e nunca havia sido preso.

    Em depoimento à Polícia Civil, o jovem disse que começou a roubar carros e assaltar pedestres para conseguir pagar dívidas, já que a empresa que tinha faliu. Em relação à morte de Gabryel, confirmou que atirou porque a vítima tentou reagir. Ele ainda reforçou que agiu sozinho e que um suspeito preso no fim de semana não tem relação com o caso.

    O homem prestou depoimento esta manhã na delegacia de Eldorado do Sul. O delegado Herbert Ferreira, da 4ª Delegacia de Porto Alegre e responsável pela investigação do latrocínio, acompanhou o depoimento e disse que todos os fatos levam a crer que seja ele o autor do crime.

    Por volta do meio-dia, o amigo da vítima que presenciou o crime fez o reconhecimento de Flávio William Oliveira da Silva como responsável pelo crime.

    O estudante de Marketing da Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (Fadergs) voltava da aula quando foi abordado pelo ladrão na frente do prédio onde morava, na Avenida Pernambuco. Ele foi morto com um tiro na cabeça.

    Foto: Cid Martins /Gaúcha

    Polícia descarta segundo suspeito
    No domingo, um jovem foi preso na zona leste de Porto Alegre suspeito de envolvimento no crime. Além de informações que a polícia obteve, ele tem semelhanças com o retrato-falado divulgado.

    A Justiça decretou prisão temporária por cinco dias para averiguação. Como a testemunha não pode fazer o reconhecimento ontem, porque estava viajando, o procedimento foi realizado nesta manhã. O amigo da vítima descartou a participação dele.

    O jovem estava detido na 3ª Delegacia de Pronto Atendimento, na zona norte da Capital, e não chegou a ser conduzido ao presídio. Ele foi liberado no começo da tarde.

    Amigos se mobilizaram pelas redes sociais para pedir a liberdade dele e pretendiam fazer um protesto em frente à delegacia. 

    Gaúcha
     
    Comentários