A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 17/06/2017 11h09

    Prefeito decreta situação de emergência em Caxias

    Publicação ocorre mais de uma semana depois de temporal

    Foto: André Fiedler /Rádio Gaúcha

    Mais de uma semana depois do vendaval que atingiu Vila Oliva, o prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra, decretou situação de emergência. Para embasar o pedido que aguarda homologação do governo do Estado, a prefeitura fez um balanço dos estragos e publicou em edição extra do Diário Oficial do município desta sexta-feira (16).

    No distrito de Vila Oliva, região mais atingida, foi relatada a morte de uma idosa de 78 anos pela queda de escombros da casa, de um jovem de 20 anos devido a complicações de múltiplas fraturas e 18 atendimentos a feridos, sendo sete com maior gravidade. Além das perdas da agricultura, foi listada a morte de 10  bovinos e a queda de araucárias, eucaliptos e outras árvores. Ao todo, 131 moradias foram atingidas, sendo 65 danificadas e 66 destruídas.

    Foram cadastradas pela prefeitura, até o dia 10 de junho, 66 famílias e 225 pessoas atingidas. Deste percentual, 77 pessoas perderam todos os bens, 110 pessoas tiveram a cobertura dos imóveis avariadas, seis pessoas relataram que os imóveis tinham risco de desabamento, 20 pessoas tiveram danos na cobertura e estrutura dos imóveis, entre outros casos mais particulares.

    Aproximadamente 80 moradias na área urbana foram prejudicadas com destelhamento ou queda de galhos de árvore, a maior parte nos bairros Cruzeiro, Desvio Rizzo, Fátima Alta, Pioneiro e Santa Fé, atingindo os pontos mais elevados da cidade. A rede de drenagem foi atingida com obstrução das grelhas de captação de água da chuva e outro problemas registrados foram alagamentos e falta de luz.

    Estas interrupções prolongadas no fornecimento de energia elétrica nas localidades de Ana Rech, Fazenda Souza, Galópolis, Santa Lúcia do Piaí, Vila Cristina e Vila Oliva desencadearam deterioração dos gêneros hortifrutigranjeiros armazenados em câmaras frias da região, impactando na perda de cerca de três milhões de quilos de produtos, segundo dados da Emater. A prefeitura acrescentou que isso gera impacto financeiro negativo para os produtores e para a arrecadação de tributos do município.

     

    Gaúcha
     
    Comentários