- Atualizado em 04/11/2014 9h36

Prefeitura da Capital vai pedir interdição de boate após tiroteio

Chefe da fiscalização diz que motivo é a falta de segurança

Tiroteio na boate do Bairro Santana terminou com um morto e pelo menos 15 feridos

Foto: Felipe Daroit /Rádio Gaúcha

A Secretaria da Produção, Indústria e Comércio (Smic) de Porto Alegre vai pedir nova interdição da boate Stuttgart, onde uma pessoa morreu e 15 ficaram feridas em tiroteio na madrugada de segunda-feira. A casa noturna estava aberta por meio de liminar.

De acordo com a Justiça, a prefeitura alega que a situação da casa é irregular, tanto que a Smic vem sistematicamente pedindo a revogação da medida. Porém, a empresa alega em petição de maio de 2014, que providenciou as adequações necessárias.

Rogério Stockey, diretor da divisão de fiscalização da Smic, disse em entrevista ao Gaúcha Atualidade que na época a Stuttgart tinha liberação dos Bombeiros, mas foi interditada por causa da poluição sonora. Ele não soube precisar se ela atende as normas da nova lei Kiss. No entanto, disse que a prefeitura encaminha um novo pedido de interdição.

"Vamos interditar a casa por outros motivos, como a falta de segurança", adiantou o chefe da fiscalização.

Segundo ele, "inferninhos" no Centro Histórico já foram fechados pelo mesmo motivo, porém reabertos por meio de liminares judiciais.

Tiroteio na boate
Segundo a polícia, a confusão começou depois de uma briga entre gangues rivais. O tiroteio dentro do estabelecimento, localizado bairro Santana, aconteceu por volta das 4h15. Tiago Querubim Silveira, de 19 anos, foi baleado e morreu no Hospital de Pronto Socorro (HPS). Pelo menos outras 15 pessoas ficaram feridas na troca de tiros.

Imagens mostram o tiroteio dentro da boate:

Áudios
 
Comentários