A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 23/06/2017 18h16

    Presidente do Conselho de Ética do Senado arquiva processo contra Aécio Neves

    João Alberto Souza (PMDB-MA) alegou "falta de provas" para arquivar a representação

    Foto: Geraldo Magela /Agência Senado/Divulgação

    O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), anunciou no fim da tarde desta sexta-feira (23) que decidiu arquivar o pedido de cassação de Aécio Neves (PSDB-MG). O peemedebista disse que indeferiu a representação por "falta de provas".

    No mês passado, após as delações da JBS, os partidos Rede e PSOL encaminharam o pedido de cassação do mandato de Aécio por quebra de decoro parlamentar. Em razão da suspeita de envolvimento em corrupção, o tucano está afastado das atividades legislativas, por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

    Integrantes do Conselho de Ética poderão recorrer do arquivamento. Para isso, uma proposta precisará ser apresentada em dois dias úteis, com apoio de ao menos cinco membros.

    Nos bastidores, o apoio ao senador Aécio tem sido motivo de negociação entre o PMDB e o PSDB. A blindagem ao senador seria condição para que os tucanos permaneçam no governo do presidente Michel Temer. O presidente do Conselho de Ética do Senado é um aliado histórico do ex-presidente José Sarney, um dos principais caciques do PMDB.

    Gaúcha
     
    Comentários