A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 20/03/2017 7h37

    Supersafra gaúcha deve movimentar ainda mais a BR-116 

    Com a via férrea praticamente abandonada e a hidrovia com papel secundário, estrada é fundamental para escoar produção do Estado

    Foto: Tadeu Vilani /Agencia RBS

    Há mais de uma maneira de fazer a produção gaúcha de grãos chegar ao porto de Rio Grande, mas a BR-116 é considerada fundamental para o escoamento até lá. As informações são de Zero Hora.

    — É uma rodovia vital — afirma Afrânio Kieling, presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no Estado (Setcergs).

    Fábio Avancini Rodrigues, diretor vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), acrescenta que a rodovia ganha ainda mais importância porque outros modais deixam a desejar:

    — A via férrea está praticamente abandonada, e a hidrovia tem papel secundário. A duplicação da BR-116, além de fator econômico fundamental, é uma salvaguarda de vidas.

    Em ano de supersafra, a movimentação irá crescer ainda mais. Vicente Barbiero, presidente da Associação de Empresas Cerealistas do Rio Grande do Sul, diz que já se fala em 18 milhões de toneladas do grão — a Emater aponta 16,8 milhões de toneladas. Além disso, em 2016, neste período do ano 40% da produção havia sido negociada. Agora, só 12%.

    — A comercialização será toda na mesma hora. Imagina o risco dessa estrada não duplicada — observa Barbiero.

    Zero Hora
     
    Comentários