A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 23/06/2017 12h29

    Taxista atropelado por motorista de Uber em Novo Hamburgo segue em estado grave

    Maicon Rodrigo Cantinho, 30 anos, "permanece recebendo tratamento intensivo", segundo boletim médico

    Movimentação era normal na manhã de hoje em frente à rodoviária de Novo Hamburgo

    Foto: Paulo Rocha /Rádio Gaúcha

    É considerado grave e sem evolução o estado de saúde do taxista Maicon Rodrigo Cantinho, 30 anos, internado no Hospital Geral de Novo Hamburgo. Conforme o boletim médico divulgado no final da manhã desta sexta-feira (23), o paciente "permanece recebendo tratamento intensivo".

    Maicon foi atropelado na quinta-feira, na rodoviária da cidade, durante uma confusão envolvendo taxistas e motoristas de Uber.

    Preso após o atropelamento, Arcindino de Almeida Neto, de 36 anos, que trabalha para o aplicativo de transporte, obteve liberdade provisória na noite passada. A defesa alega que ele agiu em legítima defesa, após ter tido o carro supostamente apedrejado e ter sido cercado por taxistas – que negam a versão.

    Na manhã de hoje, a movimentação era normal em frente à rodoviária da cidade. Devido ao episódio de ontem, a Brigada Militar chegou a reforçar o policiamento na região durante a noite.

    No ponto de táxis, motoristas lamentaram o caso e criticaram a falta de regulamentação dos aplicativos de transporte em Novo Hamburgo.

    – A coisa já estava complicada, mas não esperava que chegasse ao ponto que chegou. De repente, com esse episódio, a prefeitura consiga resolver a coisa, mas desde que seja fiscalizada – diz o taxista Cezar Rodriges, 63 anos, e com 30 anos de profissão.

    Procurada pela reportagem, a assessoria da prefeitura informa que já trabalha na redação de um projeto prevendo a regulamentação de aplicativos de transporte de passageiros. O texto conta com a contribuição de uma proposta feita pela Câmara de Vereadores e entregue ao Executivo no último dia 6.

    O texto final deverá tramitar em regime de urgência no Legislativo.

    Gaúcha
     
    Comentários